Garoto feirense de 9 anos fala sobre rotina no muaythai
15/12/2017 - 18h55 em NOVIDADES

Na última quinta-feira (30) foi ao ar a segunda edição do programa Geral Fight Kids, um quadro especial que tem por objetivo valorizar e incentivar a prática esportiva, em especial as artes marciais, para as crianças. E nessa edição, o programa contou com a participação do pequeno Kaíque Almeida, 9, praticante de muaythai, que treina na equipe Pirata Top Team. 

O programa ainda teve a participação de Anderson Santos, mais conhecido como “Pirata” líder da Pirata Top Team, além do comentarista de artes marciais, atleta e professor de jiu-jitsu, Filipe Oliveira. 

 Com o tema “Benefícios das artes marciais na infância” o apresentador Sidnei Campos conversou com o pequeno Kaíque Almeida. O garoto contou sobre a paixão pelas artes marciais, em especial o muaythai. “Eu comecei nas artes marciais no jiu-jitsu quando eu tinha três anos, sempre acompanhava o meu pai nos treinos e isso me motivava muito. Logo em seguida eu passei a observar os treinos do pessoal do muaythai foi quando surgiu meu grande interesse de seguir nessa modalidade. Através do muaythai tenho aprendido muitas coisas que tem me ajudado e muito no meu dia a dia, principalmente na minha vida escolar. A disciplina e o poder de concentração são uns dos pontos primordiais que a arte nos proporciona”, disse.

Kaíque Almeida | Crédito: Sidnei Campos FE

Apesar da pouca idade Kaíque Almeida já é visto como uma grande promessa do muaythai feirense. “Kaíque vai muito longe é um garoto promissor no muaythai, pois é muito concentrado, dedicado e muito comprometido em tudo que faz. E com certeza essas são algumas das características de um futuro grande atleta. Do jeito que ele vem encarando os treinos e sua performance dia a dia, em breve Feira terá um nome forte dentro do muaythai para representar não só a Bahia, mas como o Brasil nas grandes competições nacionais e internacionais”, ressaltou mestre Anderson Santos “Pirata”. 

Segundo Filipe Oliveira é muito importante os pais não atribuírem uma responsabilidade precoce nos filhos. “Nós como professores temos que ter essa visão de explicar para os nossos alunos e principalmente para os pais, que eles não podem depositar nas crianças aquilo que eles gostariam de ter sido ou gostaria de ser. Porque isso pode acabar frustrando e atrapalhando o processo de desenvolvimento do aprendizado do atleta. A criança tem que chegar à academia para se divertir, treinar, aprender e ser disciplinado, e não forçá-lo a ser um campeão antes da hora ou por imposição. Deixando os mesmo livres para optar em seguir lutando como atleta ou apenas participando das aulas para aperfeiçoamento”, explicou. 

Durante o programa os internautas puderam participar e concorrer ao sorteio de três bonés exclusivos do Geral Fight, comercializados na Casa do Chapéu, que fica na Avenida Monsenhor Renato Galvão, 133, Praça da Matriz. Os pedidos podem ser feitos pelo telefone (75) 99104-9030. 

Para acompanhar o programa Geral Fight basta baixar o aplicativo da Rádio Geral no Play Store, se você tem iPhone também pode curtir o programa através do App Radiosnet ou ainda pode ficar conectado através do site da Rádio Geral.

COMENTÁRIOS
PUBLICIDADE