Estudantes de comunicação e Rádio Geral
24/08/2018 09:37 em NOVIDADES

Por: Gracie Kelly 

Estudantes do curso de jornalismo da Universidade Federal do Recôncavo Baiano (UFRB) em Cachoeira, através da disciplina de rádio-jornalismo orientados pela professora mestra Daniela Ribeiro, são parceiros da Rádio Geral, do grupo FOLHA DO ESTADO DA BAHIA,  para produção de podcasts. 

Um dos estudantes participantes, Bruno Leite, explicou sobre esse projeto. “Pensamos em trabalhar com o podcast que ficará disponível em uma plataforma digital. Um programa voltado para cultura Sound System que é atual na Bahia e vem crescendo no Brasil. São vários ritmos dentro dessa cultura. Temos o expoente que é o BaianaSystem, mas em Feira de Santana a gente tem um outro cenário, sendo grandioso formando pela Roça Sound e uma outra galera que está vindo ai sendo influenciada”, diz Leite. 

Bruno ainda explicou sobre a realização do programa aqui em Feira de Santana. “O programa aqui em Feira foi por uma questão de logística, onde achamos essa parceria da Radio Geral, que é uma parceria muito importante para concepção do programa” afirmou estudante. 

A professora mestra e orientadora desse projeto, Daniela Ribeiro, comentou sobre a importância da parceria dos estudantes com a rádio.

“Quando a gente fala em parcerias, veículo e universidade acho importante para o aluno, pois ele tem a oportunidade de fazer um teste consigo para entender que aquilo que o aluno está estudando que de fato é aplicável e principalmente encontrar o timing profissional que muitas vezes é diferente do timing acadêmico. Então se torna um bom teste, com parcerias extremamente necessárias e isso deveria acontecer mais”, diz a orientadora. 

Daniela Ribeiro também pontuou sobre a oportunidade de realização do programa aqui em Feira de Santana. “A realização do programa na Rádio Geral dos alunos do quarto semestre de jornalismo, considero ainda mais crucial. Em Cachoeira o mercado é extremamente restrito para jornalismo. Então eles precisam dessas pontes em Feira de Santana e em Salvador, que são os dois polos mais próximos, pois se eles passam os quatro anos estudando para depois adentrarem ao mercado, se tornam invisíveis para o mercado. Então considero que esse tipo de iniciativa pode fazer a diferença na carreira profissional de um estudante que está em formação”, concluiu a professora.

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!