“PDDU e Concurso da Câmara marcaram o ano de 2018”, diz presidente José Carneiro
17/12/2018 15:13 em NOVIDADES

Por: Walace Almeida / Folha do Estado

Na 3ª edição do programa Política Na Geral, que foi dividido em duas partes, José Carneiro Rocha (PSDB) explanou sobre o ano da Câmara Municipal de Feira de Santana

Na manhã de ontem, na 3ª edição do programa Política Na Geral, o vereador e presidente da Câmara Municipal de Feira de Santana, José Carneiro Rocha (PSDB), foi mais um convidado que comentou, sobretudo, da política municipal.

Fazendo um balanço dos trabalhos legislativos da Câmara Municipal em 2018, Zé Carneiro citou dois pontos principais que, no seu ponto de vista, marcaram o ano da Casa: a aprovação do PDDU (Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano) e o Concurso da Câmara.

Sobre o primeiro, o presidente citou, principalmente, o orgulho que tem e que todos os vereadores deve ter pela aprovação do Plano. Para ele, a cidade tem muito a ganhar daqui para frente.

“O PDDU é motivo de orgulho para todos os vereadores da Câmara de Feira. Inclusive, fico muito feliz em ter sido votado na minha gestão. Nosso PDDU foi elaborado em 69. Há, exatamente, 49 anos atrás, quando Feira não tinha nem 300 mil habitantes. Hoje, já ultrapassamos a marca de 600 mil. Com propostas novas, ideias novas, propostas que modernizarão a cidade, o PDDU é a espinha dorsal, a coluna vertebral de uma cidade. Um conjunto de leis que, certamente, vai melhorar em muito a cidade”, disse.

Ainda falando dos pontos que marcaram o ano legislativo, Zé Carneiro explicou como conseguiu lograr êxito na realização do “tão sonhado” Concurso da Câmara Municipal.

“Conseguimos realizar o tão sonhado concurso. Estaremos chamando, em fevereiro, os concursados. Não sei se no total, mas posso assegurar que convocaremos. Ganhamos experiência com os vereadores que tentaram e não conseguiram realizar esse concurso. O método usado era o de licitação: qualquer empresa legalizada poderia participar da concorrência. Fizemos diferente. Em vez de fazermos concurso com licitação, faremos com instituição, através de dispensa, pois, desse modo, poderemos trazer uma instituição de renome no país para, consequentemente, não haver riscos de reclamações”, explanou.

O vereador comentou sobre as viagens que fez em busca de instituições que tivessem capacidade para realizar o concurso. “Peregrinamos, fomos a Brasília, a São Paulo, e nesses lugares, mantivemos contato com diversas instituições. Dentre elas, o IBFC (Instituto Brasileiro de Formação e Capacitação), e fizemos o concurso sem receber denúncias acerca de erros. Foi gratificante e extremamente transparente. Esses dois feitos foram os que mais marcaram a nossa legislatura”, concluiu.

 
COMENTÁRIOS