José Ronaldo afirma que experiência das Eleições 2018 o serviram de lição
19/12/2018 14:31 em NOVIDADES

Por: Walace Almeida / Jornal Folha do Estado

José Ronaldo de Carvalho, ex-prefeito de Feira de Santana, foi o personagem da quarta edição do programa Política Na Geral, na manhã de ontem, no estúdio da Rádio Geral. No comando, estava o colunista Humberto Cedraz.

Logo no início da entrevista, Humberto fez um questionamento ao ex-candidato a governador da Bahia acerca de qual foi a sua avaliação sobre as Eleições 2018. Ronaldo foi direto: "considero como uma lição".

"Aprendi muito. Vivemos a vida aprendendo todo dia, toda hora, e, inegavelmente, essa eleição me deu muitos ensinamentos políticos. Foi algo diferente, eu era prefeito, trabalhava-se com a hipótese de eu ser candidato a senador. O tempo passou e havia um movimento dentro do grupo para uma candidatura de ACM Neto. Quando faltava uns 30 dias, a coisa afunilou, e chegamos ao ponto de eu ter de tomar uma decisão em poucas horas. Quando olhei para os lados e vi amigos candidatos à Alba, à Câmara Federal, pessoas que pretendiam ser candidato ao Senado, entendi que tinha papel importante para assumir missões, pois é o meu trabalho político", explanou.

Embora tenha ganhado a eleição para governador na cidade em que foi prefeito durante quase 20 anos, José Ronaldo não logrou êxito de maneira geral. Apesar disso, disse que não se arrepende de nada.

"Defendo a atividade pública. Não me arrependo e faria tudo de novo. Essa atitude me deu oportunidade para que eu tivesse dentro do mundo político. Fiz um bom combate, perdi, faz parte. Estou tocando a vida. Estou mais tranquilo. Enquanto prefeito, levantava cedo, corria para lugares, mas agora estou mais calmo. Amo política e ainda estou em atividade. Agora, tenho tempo para ver a minha família, conversando com pessoas. Iremos ver o que acontecerá daqui para frente", afirmou.

Revanche em 2022

Humberto Cedraz, após a resposta do ex-prefeito, perguntou se ele seria nome forte para uma revanche na próxima eleição nacional. Quanto a isso, Ronaldo não negou e afirmou que deseja fazer parte do processo.

"Só Deus sabe. Depende de uma série de fatores. Portanto, é prematuro. Tenho o desejo de continuar fazendo política. Me lembro que a eleição de 2016, o PT tinha 80 prefeitos na Bahia e caiu para 30. O PT foi derrotado. Em São Paulo, tinha 80 prefeitos e caiu para 3. O partido não elegeu prefeitos em nenhuma das grandes cidades do país. Estava desgastado. Em 2018, foi vencedor. A mudança é da agua pro vinho, muito rápida. Mas, repito, o desejo de participar do processo político é real", concluiu.

COMENTÁRIOS